Moda e COP26: o que podemos fazer?

Segundo o relatório elaborado pela Global Fashion Agenda, descobrimos que as emissões de gases promovidas pela indústria da moda estão entre aproximadamente 3% e 10% da emissão geral do mundo!

Os dados são alarmantes, né? Mas infelizmente não estão sozinhos: com a super adesão às fast fashions nas últimas décadas, estatísticas da instituição Ellen McArthur Foundation comprovam que a produção de roupas dobrou no período entre 2004 a 2019. Da mesma forma, aumentou a necessidade de compra por parte do consumidor, que em 2014 consumiu 60% mais roupas do que em 2000.

Com esse tanto de notícia preocupante, nosso propósito aqui com a Roupateca não é te deixar paralisada, viu? Muito pelo contrário, temos dados importantes que comprovam que tem muita gente olhando para a relevância da moda na luta pelo meio ambiente. 

Leia mais sobre esse assunto aqui!

Você sabe o que é a Conferência do Clima da ONU?

Desde o dia 31 de outubro até o dia 12 de novembro, acontece a Conferência do Clima da Onu, em Glasgow (Escócia). Contando com 196 países dentre chefes de Estado, ministros, representantes do setor privado e ativistas da sociedade civil, o objetivo da COP26 é estabelecer soluções no combate às mudanças climáticas.

O evento marca também o prazo final para que os países informem se cumprirão com o Acordo de Paris, está lembrada? O documento assinado em 2015 é o primeiro tratado universal de combate à mudança climática, contando com planos para a redução de emissões de gases e metas para limitar o aquecimento global até o ano de 2100.

Mas afinal, estamos falando de roupas ou da COP26?

A moda é tão relevante para a discussão, que durante a COP26 inúmeros eventos sobre o tema foram marcados. Além das atualizações da Carta da Moda sobre Ação Climática, organizações como o Fashion Revolution e Center for Sustainable Fashion, publicaram uma carta aberta exigindo o reconhecimento do papel da indústria da moda na crise climática. 

Uma das propostas, por exemplo, aborda legislações que possibilitem maior transparência. Isto é, caberia aos países exigir maior monitoria e responsabilidade das empresas, quanto aos impactos ambientais e humanos que causam. 

Ufa, tem chão pela frente, né? Mas saiba que nós enquanto sociedade civil também fazemos parte dessa mudança! Listamos 5 formas de colaborar no combate ao aquecimento global, dá uma olhada e venha fazer parte dessa luta conosco!

Deixe um comentário