Vestir também é um
ato político

Há 5 anos nós pensamos que uma roupa podia ser muito mais do que era. Pensamos que poderíamos criar um espaço que estimulasse o entendimento do consumo que passa longe da posse, perto do acesso. Criamos um guarda-roupa compartilhado, o primeiro do Brasil, porque na nossa visão de futuro, a partilha é uma palavra essencial.

Em nossa jornada até aqui aprendemos que nessa dinâmica, a forma como consumimos se transforma em ferramenta de educação e de transformação social.

Vestir também é
um ato político

Há 5 anos nós pensamos que uma roupa podia ser muito mais do que era. Pensamos que poderíamos criar um espaço que estimulasse o entendimento do consumo que passa longe da posse, perto do acesso. Criamos um guarda-roupa compartilhado, o primeiro do Brasil, porque na nossa visão de futuro, a partilha é uma palavra essencial.

Em nossa jornada até aqui aprendemos que nessa dinâmica, a forma como consumimos se transforma em ferramenta de educação e de transformação social.

Roupateca vestir também é um ato político

Quando compartilhamos, criamos uma dinâmica de economia de energia, de tempo, de dinheiro, de espaço e de produção de impacto no mundo. Redefinimos juntas o valor das coisas.

Abraçando um modelo compartilhado, não abandonamos o nosso desejo de ter a roupa como ferramenta de autoexpressão e afirmação das nossas identidades, mas fortalecemos a nossa ideia de comunidade. E é assim que o mundo ganha.

Nós somos Daniela, Flávia e mais dezenas de pessoas que aprendem juntas. Uma iniciativa criada por mulheres que acreditaram que o futuro é coletivo, feminino e partilhado.

Roupateca vestir também é um ato político

Quando compartilhamos, criamos uma dinâmica de economia de energia, de tempo, de dinheiro, de espaço e de produção de impacto no mundo. Redefinimos juntas o valor das coisas.

Abraçando um modelo compartilhado, não abandonamos o nosso desejo de ter a roupa como ferramenta de autoexpressão e afirmação das nossas identidades, mas fortalecemos a nossa ideia de comunidade. E é assim que o mundo ganha.

Nós somos Daniela, Flávia e mais dezenas de pessoas que aprendem juntas. Uma iniciativa criada por mulheres que acreditaram que o futuro é coletivo, feminino e partilhado.