“Comprei uma roupa e me arrependi”. Entenda o porquê consumimos por impulso

Você olha para o seu armário sem entender como uma ou outra peça foi parar ali? Saiba que você não é a única: comprar roupa por impulso infelizmente é mais frequente do que gostaríamos! Em uma pesquisa para entender quais itens comprados mais geram arrependimento na rotina dos consumidores, adivinha qual ganhou o pódio? Isso mesmo, as roupas. A Universidade de Cambrigde investigou que mais da metade das peças compradas pelos entrevistados geram arrependimento. 

Mulher se observar enquanto segura roupa no cabide em frente ao corpo

Já que esse processo é tão comum assim, está curiosa para saber por quê acontece né? Dá só uma olhada nas 3 razões pelas quais é tão comum comprar roupa por impulso e se arrepender depois:

1. Compramos por estados emocionais

Já ouviu falar do termo revenge speding

comprar roupa por impulsoA tradução do termo é “gasto por vingança”, significa compras feitas como recompensa para algum sentimento.  “Estou me sentindo muito triste, vou fazer compras para me distrair”. “Estou me sentindo muito feliz, vou fazer compras porque eu mereço”. Nesse caso, notamos que a principal motivação para comprar não é suprir uma necessidade prática, mas uma emoção mal gerenciada.

Em momentos adversos como o que atravessamos na pandemia, é comum que o revenge speding seja utilizado como uma válvula de escape, sabe? Como se fosse o dia de comer tudo o que for possível depois de uma dieta super restritiva. 

Entenda mais sobre os impactos do “revenge spending” em tempos de isolamento

2. Compramos por liquidações / promoções 

comprar roupa por impulso“Não estava nem precisando dessa blusinha agora, mas peguei uma promoção que compensou, não podia perder!” Já se gabou daquele cupom de desconto que te fez comprar uma calça bem parecida com a que você já tinha, só pra ter uma “reserva”? Bom, essa tática não é ao acaso. 

A professora de economia da Fundação Getúlio Vargas, Samy Dana, afirma que a chance de uma roupa ficar incrível na vitrine e “mais ou menos” no corpo da consumidora é muito grande! Diferente do manequim, nosso corpo é cheio de particularidades e se fossemos pensar com carinho antes de fazer cada compra, voltaríamos com a sacola vazia muito mais vezes. As lojas sabem disso e por isso criam uma atmosfera para que a peça pareça tão atrativa

3. Compramos porque ainda não conhecemos nosso próprio estilo

Se você está baseando suas compras nas tendências do Instagram, Pinterest e influencers mais do que nas demandas da sua rotina, você está comprando roupas com data de validade.

Quando não refletimos sobre o nosso próprio estilo, aquilo que não muda mesmo diante de tantas informações, é muito difícil não ceder a tantas investidas da publicidade. E aí seguimos comprando sem pensar no que já temos no armário e a sensação de que não possuímos tudo o que precisamos ainda, é contínua. 

Leia mais: Confira dicas para variar uma única peça de roupa e multiplicar as possibilidades do seu armário!

Bom, o que queremos dizer com tudo isso? Se em média 76% das peças do guarda-roupa de uma pessoa não são utilizadas, sabemos que essas compras não partiram da necessidade, mas do desejo. Haja dinheiro, espaço e recursos do planeta para dar conta de tudo isso, hein?

Deixe um comentário